quinta-feira, 26 de abril de 2012

ÉTICA E VIOLÊNCIA


O homem, no decorrer da história, organizou sua vida em grupo, passando a viver em sociedade. Á partir desta organização surge comportamentos socialmente estabelecidos, várias formas de relações e organizações sociais com maneiras de agir, pensar e sentir que se tornam uma imposição obrigatória aos indivíduos.
As organizações sociais, bem como as formas de relações estabelecidas mudam constantemente de acordo com cada época e contextos históricos, sociais, culturais e das características específicas dos indivíduos neles envolvidos. Essas mudanças continuas caracterizam o que chamamos de Processo Social.
As relações sociais entre indivíduos e grupos podem ser estabelecidas de maneira associativas, como a cooperação e a assimilação ou dissociativa, como a competição e o conflito. Quando se têm indivíduos, grupos e comunidades trabalhando juntos para um mesmo fim temos a forma mais comum de relações associativas: a cooperação.
Porém, no mundo atual vivemos numa sociedade que não respeita as individualidades alheias, onde a competição é a força que leva os indivíduos a agirem uns contra os outros na busca da satisfação dos desejos particulares e nos torna individualistas. Essa relação é dissociativa e se caracteriza por grandes tensões sociais surgindo assim os conflitos. A incapacidade de pensar do ponto de vista do outro dá origem a toda as formas de rivalidade, discussão, disputa e violência. Comportamentos que fogem ao conceito da ética.
O que é ética?
O termo ética deriva do grego ethos (caráter, modo de ser de uma pessoa).  Ética é um conjunto de valores morais e princípios que norteiam a conduta humana na sociedade. A ética serve para que haja um equilíbrio e bom funcionamento social, possibilitando que ninguém saia prejudicado. Neste sentido, a ética, embora não possa ser confundida com as leis, está relacionada com o sentimento de justiça social.
A ética é construída por uma sociedade conforme as exigências ou necessidades fundamentais da natureza humana e tem como base os valores históricos e culturais. Do ponto de vista da Filosofia, a Ética é uma ciência que estuda os valores e princípios morais que motivam, distorcem, disciplinam ou orientam o comportamento humano de uma sociedade e seus grupos.
A ética é praticada no do dia a dia. Ela que orienta nossa conduta, tanto social como individualmente, pois exterioriza as virtudes no cumprimento de nossas obrigações e deveres, bem como nosso comportamento perante as normas e as leis estabelecidas e mesmo quando não seguem o instituído a ética se faz presente quando contestamos valores contrários ao bem comum, ao respeito às diferenças e a organização de uma sociedade justa.
A ética, portanto, define o sujeito ético, ou seja, o individuo como um ser racional e consciente que sabe o que faz, como um ser livre que decide e escolhe o que faz, e como um ser responsável que responde pelo que faz. A ética ainda define as ações e o conjunto de noções (ou valores) que orientam os indivíduos.  
Essas ações éticas são definidas pela concepção do bom e mau, justo e injusto, virtude e vício, valores cujo conteúdo pode variar de uma sociedade para outra ou na história de uma mesma sociedade, mas que propõem sempre uma diferença entre condutas, segundo o bem, o justo e o virtuoso. Assim, uma ação só será ética se for consciente, livre e responsável e só será virtuosa se for realizada em conformidade com o bom e o justo e de forma livre, ou seja, resultar de uma decisão interior do individuo e não da obediência a uma ordem, a um comando ou a uma pressão de outros.
O que é violência?
A violência é o uso da força física e/ou psíquica contra alguém para obriga-lo a fazer alguma coisa contrária à sua vontade, aos seus interesses e desejos, ao seu corpo e a sua consciência, causando-lhe danos profundos e irreparáveis, como a morte, a loucura, a autoagressão ou a agressão aos outros.
A violência se manifesta de várias formas. Pode resultar do uso da força física para assaltar, ferir ou matar, ou ainda para constranger alguém a realizar atos contra a sua própria vontade; Pode resultar da força de natureza psicológica que atua sobre a consciência pela opressão, intimidação, pelo medo e pelo terror, exigindo da vitima uma aceitação aparentemente voluntária.
 A violência da desigualdade social, fruto da injusta repartição das tarefas e dos privilégios que reservam para poucos o aproveitamento dos bens produzidos pela comunidade. A violência da fome crônica que prevalece em amplas regiões do mundo, como resultado do planejamento econômico que visa, em primeiro lugar, ao interesse dos negócios. Violência também é a criança permanecer fora da escola, privando-se de educação e do saber, pelo fato de precisar trabalhar, ou devido à classe social desfavorável a que pertence.
Mas qual a relação entre violência e ética?  A violência geralmente se refere à falta da ética, de indivíduos que não interioriza os valores éticos, fruto da sociedade atual que perdeu sua referencia e prega o desenvolvimento, sem a preservar sua história cultural. Esses indivíduos seguem as leis, cada vez mais desenvolvidas e bem elaboradas, sem compreendê-las e vivem em negação dos seus valores.  
Vivemos na atualidade uma situação de barbárie que passou a integrar o nosso cotidiano. Os meios de comunicação de massa nos apresentam todos os dias, em seus noticiários, as mais diversas cenas de violência, muitas delas, retratadas amplamente: violência doméstica, envolvimento com drogas, espancamentos e mortes por homofobia e xenofobia, mortes violentas por brigas no trânsito, pais que abusam de suas filhas e espancam seus filhos, pedofilos abusando de crianças indefesas, prostituição infantil, brigas de crianças e adolescentes nas escolas, entre tantas outras, etc. Outra forma de violência lançadas contra a infância e a juventude brasileira, são as próprias programações dos meios de comunicação, muitas delas, impróprias e desqualificadas, sem nenhum valor cultural ou moral e que em nada contribuem para a formação ética e moral do ser em processo de desenvolvimento.
As normas e leis ainda que desenvolvidas e bem elaboradas, necessitam dos valores éticos para que tenham sentido e sejam aplicadas com justiça, no entanto a ética parece estar cada vez mais longe e a violência é um retrato do esvaziamento de sentido do indivíduo e da atual organização social.
A sociedade como um todo, os governos, as escolas e as famílias, como contribuintes do surgimento e desenvolvimento deste estado de coisas, devem tomar consciência do seu papel no processo da estruturação de uma sociedade justa e mais igualitária, e oferecer cada um uma contribuição eficaz para que juntos possam interferir na prevenção e diminuição da pratica destas violências e quebrar esse círculo vicioso. Trata-se de um trabalho de combate em equipe e não se trata de algo fácil, não somente, e principalmente, por se tratar de seres humanos.
Porém, é preciso Compreender que do ponto de vista ético somos pessoas e não podemos ser tratados como  coisas a serem usadas e manipuladas por outros. A ética está no nosso cotidiano e está ligada às escolhas feitas na prática, da forma que decidimos viver.


Fonte:

Nenhum comentário:

Postar um comentário